A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem NÃO quer

05

Às vezes me flagro imaginando um homem hipotético que descreva assim a mulher dos seus sonhos:

“Ela tem que trabalhar e estudar muito, ter uma caixa de e-mails sempre lotada. Os pés devem ter calos e bolhas porque ela anda muito com sapatos de salto, pra lá e pra cá.

Ela deve ser independente e fazer o que ela bem entende com o próprio salário: comprar uma bolsa cara, doar para um projeto social, fazer uma viagem sozinha pelo leste europeu. Precisa dirigir bem e entender de imposto de renda.

Cozinhar? Não precisa! Tem um certo charme em errar até no arroz. Não precisa ser sarada, porque não dá tempo de fazer tudo o que ela faz e malhar.

Mas acima de tudo: ela tem que ser segura de si e não querer depender de mim, nem de ninguém.”

Pois é. Ainda não ouvi esse discurso de nenhum homem. Nem mesmo parte dele. Vai ver que é por isso que estou solteira aqui, na luta.

O fato é que eu venho pensando nisso. Na incrível dissonância entre a criação que nós, meninas e jovens mulheres, recebemos e a expectativa da maioria dos meninos, jovens homens,  homens e velhos homens.

O que nossos pais esperam de nós? O que nós esperamos de nós? E o que eles esperam de nós?

Somos a geração que foi criada para ganhar o mundo. Incentivadas a estudar, trabalhar, viajar e, acima de tudo, construir a nossa independência. Os poucos bolos que fiz na vida nunca fizeram os olhos da minha mãe brilhar como as provas com notas 10. Os dias em que me arrumei de forma impecável para sair nunca estamparam no rosto do meu pai um sorriso orgulhoso como o que ele deu quando entrei no mestrado. Quando resolvi fazer um breve curso de noções de gastronomia meus pais acharam bacana. Mas quando resolvi fazer um breve curso de língua e civilização francesa na Sorbonne eles inflaram o peito como pombos.

Não tivemos aula de corte e costura. Não aprendemos a rechear um lagarto. Não nos chamaram pra trocar fralda de um priminho. Não nos explicaram a diferença entre alvejante e água sanitária. Exatamente como aconteceu com os meninos da nossa geração.

Mas nos ensinaram esportes. Nos fizeram aprender inglês. Aprender a dirigir. Aprender a construir um bom currículo. A trabalhar sem medo e a investir nosso dinheiro.  Exatamente como aconteceu com os meninos da nossa geração.

Mas, escuta, alguém  lembrou de avisar os tais meninos que nós seríamos assim? Que nós disputaríamos as vagas de emprego com eles? Que nós iríamos querer jantar fora, ao invés de preparar o jantar? Que nós iríamos gostar de cerveja, whisky, futebol e UFC? Que a gente não ia ter saco pra ficar dando muita satisfação? Que nós seríamos criadas para encontrar a felicidade na liberdade e o pavor na submissão?

Aí, a gente, com nossa camisa social que amassou no fim do dia, nossa bolsa pesada, celular apitando os 26 novos e-mails, amigas nos esperando para jantar, carro sem lavar, 4 reuniões marcadas para amanhã, se pergunta “que raio de cara vai me querer?”.

“Talvez se eu fosse mais delicada… Não falasse palavrão. Não tivesse subordinados. Não dirigisse sozinha à noite sem medo. Talvez se eu aparentasse fragilidade. Talvez se dissesse que não me importo em lavar cuecas. Talvez…”

Mas não. Essas não somos nós. Nós queremos um companheiro, lado a lado, de igual pra igual. Muitas de nós sonham com filhos. Mas não só com eles. Nós queremos fazer um risoto. Mas vamos querer morrer se ganharmos um liquidificador de aniversário. Nós queremos contar como foi nosso dia. Mas não vamos admitir que alguém questione nossa rotina.

O fato é: quem foi educado para nos querer? Quem é seguro o bastante para amar uma mulher que voa? Quem está disposto a nos fazer querer pousar ao seu lado no fim do dia? Quem entende que deitar no seu peito é nossa forma de pedir colo? E que às vezes nós vamos precisar do seu colo e às vezes só vamos querer companhia pra um vinho? Que somos a geração da parceria e não da dependência?

E não estou aqui, num discurso inflamado, culpando os homens. Não. A culpa não é exatamente deles. É da sociedade como um todo. Da criação equivocada. Da imagem que ainda é vendida da mulher. Dos pais que criam filhas para o mundo, mas querem noras que vivam em função da família.

No fim das contas a gente não é nada do que o inconsciente coletivo espera de uma mulher. E o melhor: nem queremos ser. Que fique claro, nós não vamos andar para trás. Então vai ser essa mentalidade que vai ter que andar para frente. Nós já nos abrimos pra ganhar o mundo. Agora é o mundo tem que se virar pra ganhar a gente de volta.

RUTH MANUS, PUBLICADO EM: http://blogs.estadao.com.br/ruth-manus

Anúncios

961 thoughts on “A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem NÃO quer

  1. Olha, vejo com o passar de cada dia que realmente, nós mulheres estamos avançadas nesta questão. Mas sei que muitas querem ser tipo nossas avós, fazer aquele prato delicioso para nossos filhos. (Porque no caso, o marido tb vira um filho). Não apenas por ser mulher, tenho conhecidos homens que cozinham melhor que muita mulher que conheço… o fato é que, esta declaração está baseada em “mulheres” que cresceram em condomínios, que brincavam no sofá da sala, que nunca tiveram bicho de pé, que nunca sentiram um abraço gostoso da mãe ou de outro alguém da família, que acham que a conquista de um trabalho (dinheiro) é onde tem que estar o coração. Isto é estúpido demais! … Mulher não é um animal especial, homem também não! Somos todos humanos. E uma depoimento deste faz uma auto exclusão de nós, mulheres. Acusando uma sociedade, pois digo, vc tb é culpada!!! Pois sou mulher, trabalho, estudo, namoro, cuido da minha casa também, mas conheço homens que fazem o mesmo. Então isto o faria ser “julgado” como? … A necessidade de rotular causas e coisas, pessoas, é que faz machistas, feministas, os de esquerda, os de direita… Qual o custo de apenas viver? Se quer colocar em debate um causo, já venha com alguma sugestão de solução, já venha com algo para amenizar, não culpar os homens, mto menos culpar a sociedade. O erro não está no todo, esta em cada um, começando por você.

    1. Eu imaginei nas suas ultimas palavras aquela musiquinha iniciando no fundo e de repente “TURN DOWN FOR WHAT?” Com um óculus pixelado voando. kkkkkkkkk

    2. Paloma, parabéns!!! um discurso sucinto, direto e de melhor forma, impossível. Quanto ao Blog, que texto de quinta. o título deveria ser: a geração que não pode criar nem um gato… quem dirá pessoas.

    3. Quando o texto e fiquei meio decepcionado.. lembrei de outro artigo que lí a um tempo atras chamado “A incrível geração das mulheres chatas” mas aí eu lí o comentário da Paloma e percebi que esse mundo ainda tem salvação!!!

    4. Um comentário de poucas linhas foi muito melhor e mais esclarecido q todo o resto do artigo… Parabens PALOMA!

      lol

      O preconceito so existe/aumenta na cabeca daqueles q acreditam nele… Isso eh hipnoze pura… “Por favor, não pense num elefante grande e gordo, cor de rosa, com bolinhas brancas! Não pense nisso, por favor!!” Mas q droga, eh logico q se vai pensar nisso!

      Sou casado ha 7 anos, sem filhos, minha esposa e eu nunca fomos iguais, mas tambem nunca opostos. Se estou em casa e ela trabalhando, a louca, roupa e comida sao minhas responsabilidades. Se ela esta em casa e eu no trabalho o responsabilidade eh dela, mas se em vez de fazer isso ela quiser ir pra piscina ou pra academia, OK, qnd chegar eu faco. A casa eh de ambos afinal.

      Dai acho q vem o verdadeiro X da questao. Como sociedade ocidental, extremamente influenciada pelos primeiros anos do Cristianismo na terra, escolhemos q casamento eh um relacionamento monogamico feito em pares. Isso implica q ambos na relacao tem q ser parceiros, brothers de verdade, sem essa cumplicidade essa estrutura ocidental nao da certo.

      Bem diferente de algumas culturas arabes, orientais ou mesmo pre-cristianismo, onde a instituicao familia era 1 homem + X mulhers + 2X filhos. Se fosse falar de legado dessas culturas talvez o assunto rendesse… mas na boa… isso eh coisa tao velha, tao Old School, q ficar debatendo isso so mostra o quao velha a sua propria mente eh.

      Geracao dos dias atuais, pensa no amanha, em como construir o nosso futuro. Ha 100 anos nem existia computador, nossa mente funcionava naquela velocidade, hj a velocidade eh absurda, a gente aprende e entende o passado e os erros ancestrais em dias para passar anos criando o nosso futuro.

      Resumindo, discutir richinha boba entre guerra de sexos eh coisa muito velha, coisa de novela dos anos 80 talvez. Foco no amanha e em discucoes q possam construir o futuro, tanta coisa melhor p se pensar…

      1. Taí, gostei das suas palavras, faz todo o sentido, mas… enfatizo que to contigo Paloma!!! 😉

    5. Paloma, obrigado pela sua resposta. Ela sim, é uma visão não sexista do sinal dos tempos.

    6. Este texto é apenas reflexo daquilo que não se baseia no equilíbrio de uma vida considerada “social”. Quem trabalha demais não tem tempo pra família. A mídia já fala sobre isso há muito tempo. Reflexos de nossa sociedade baseada no ter e não no ser… Bom comentário Paloma, mas a realidade do texto da Ruth é clara e pessoalmente já vivi com uma mulher assim. Mas para minha alegria, não vivo mais… Elas que sejam felizes, pois nós já somos…

    7. Meu ideal de mulher é exatamente esse… Nada de dependência material, disputas de liderança, ninguém querendo se impor sobre ninguém… Apenas parceria, compreensão, reciprocidade e amor em doses abundantes, porém iguais, de ambos os lados.
      Pensei que havia encontrado a mulher dos meus sonhos, que se encaixa na maioria das características descritas acima, mas me enganei. Bola pra frente, a busca continua.

    8. Bela dissertação Paloma. Sexismo a parte, acredito que as mulheres batalharam muito para conseguir um espaço na sociedade onde o machismo ainda predomina em ambito social e profissional. No entanto, esse seu texto faria muito mais sentido se fosse publicado há 2 gerações atrás. As mulheres já conquistaram tudo o que você descreveu e se você está solteira pelo fato de ser independente, talvez seja a hora de você quebrar os muros que te cercam e partir pra cima do que realmente quer e SER FELIZ!

  2. Minha mãe teve 3 filhos, foi mãe, dona de casa e é uma profissional bem sucedida!
    Meu pai a ajudava, não criou filhos sozinho e nem era obrigado a fazer ‘faxina’ sozinho!
    Minha mãe deu conta de dar educação, e formar 3 filhos, sendo uma mãe maravilhosa, sendo uma esposa da qual meu pai se orgulha e conseguiu fazer a faculdade, pós e mestrado!
    Não existe essa de ‘criar os filhos depois ser cuidar da carreira profissional’!
    Mulher que é mulher, consegue movimentar o mundo, sem sair de casa!!!
    Acorda e começa a entender que nenhuma tá ‘fugindo’ das suas responsabilidades, mas homens (ou não) como vc, são os que nos dão mais vontade de ser maiores! Que pena!!
    Só que os homens de hoje, deveriam se orgulhar das mulheres que acordam cedo, cuidam dos filhos, trabalham, arrumam a casa, fazem o jantar, ajudam as crianças no dever de casa e ainda são ótimas esposas!
    Não só aquelas dondocas que o marido sustenta e lambem o chão por onde eles passam!
    Vc é só mais um exemplo de que tem alguns homens que tem medo de mulher independente!!
    Lamentável!

    1. mulheres como a sua mãe são o exemplo oposto SUH, como você bem disse ela teve um relacionamento bom, e assumiu suas responsabilidades, ela é um exemplo de mulher que deu certo, com seu marido e filhos.. estamos falando das feministas que reclamam que não encontram maridos porque os homens não querem saber de mulher independente… homem não tá nem aí pra isso.. conheço muita gente que largou tudo pra mulher e recomeçou do zero… isso de medo de independência é papo de feminista… tá fora da realidade.. vai por mim… homem se garante com mulher dependente ou independente…

  3. “Mas acima de tudo: ela tem que ser segura de si e não querer depender de mim, nem de ninguém.

    Pois é. Ainda não ouvi esse discurso de nenhum homem. Nem mesmo parte dele. Vai ver que é por isso que estou solteira aqui, na luta.”

    Acho que você está solteira por outros motivos.
    Primeiro você não deveria se importar com que os outros querem, existem homens que gostam de mulheres como você descreveu e outros que gostam de outro tipo de mulher, como existem mulheres que gostam de homens conservadores, modernos, etc.
    Quando você tiver segura sobre quem é você e o que você quer e viver esse Mundo você vai encontrar alguém, não culpe ou generalize os “desejos” ou escolhas masculinas para justificar sua “solterisse”.

    Nossa singularidade como seres humanos individuais envolve, não apenas, sermos distinguíveis dos outros, mas também sermos diferentes em nosso comportamento, personalidade, gostos e antipatias, talentos, gênero, etc.

    1. Oi? Acho q quem leu mal aqui foi você pq ela diz mesmo : “E não estou aqui, num discurso inflamado, culpando os homens. Não. A culpa não é exactamente deles. É da sociedade como um todo. Da criação equivocada. Da imagem que ainda é vendida da mulher. Dos pais que criam filhas para o mundo, mas querem noras que vivam em função da família.”

      Infelizmente, em pleno século. XXI, é a mais pura das realidades.

      1. Criação equivocada de quem?
        Quem são os homens que ela diz que não estão interessados em mulheres assim? Ou onde estão os homens que gostam de mulheres assim ?

        Ou, estariam as mulheres que crescem ou querem viver de uma maneira mais “conservadora” erradas? Elas não tiveram escolhas? Foram simplesmente manipuladas desde pequenas a serem “objetos”? Vitmas da imagem conservadora?

        Posso considerar esse texto uma ofensa a homens como eu que tem uma namorada igual a descrita como mulheres que os homens não querem? Ou devo considerar meus pais modernos os grandes culpados? De quem é a culpa? Sabe de quem? De ninguém, porque o texto trata como fato um gosto, um gosto antiquado.

        Mesmo em 100 anos vão existir homens e mulheres com gostos diferentes, criados de maneiras diferentes, com vontades e desejos diferentes e eu fico feliz por isso.

    2. É isso aí. Sou homem, mas acho essa briga de gêneros contemporânea exposta na internet uma forma racional de expor uma fraqueza emocional ou alguma(s) desilusão(ões) amorosa. Tenho orgulho da minha mulher/namorada, trabalhadora, chefe e coordenadora e em mais de um emprego. Acho que quando você tem a sorte e a oportunidade de quem fará um par com você, e não buscar racionalizar e expor os problemas em achar um culpado externo, seja na educação, na sociedade ou no próprio gênero (a quem você se refere diversas vezes), o mundo flui melhor. Como o comentário acima, é melhor aceitar quem você é primeiro, para daí sim dar um passo adiante. Essa busca incesante por um par é um dos fatos contemporâneos que me leva a crer que existem pessoas que levam a vida melhor sendo solteiras. Mas existe muita gente com muito pensamento diferente por aí, generalizar pessoas é um “crime” tão gritante como desmerecer um ou outro gênero.

    3. Ela esta fazendo uma reflexao que vai alem da fronteira individual. Ela faz uma constatacao de como o papel feminino mudou na sociedade e na familia como instituicao; e a falta de preparo geral para se lidar com seus efeitos. Esta bem escrito e sem febres e exageros. A sobrevivencia nos obrigou a sair da zona do conforto domestico para complementarmos a renda familiar. Isso nos levou as disputas do mercado de trabalho e a uma nova postura (sem volta!) psicossocial.

      1. Na verdade, a entrada da mulher no mercado de trabalho não teve nada a ver com sobrevivência, muito pelo contrário, a entrada da mulher fez com que o mercado inflamasse e os salários diminuíssem.

    4. Concordo com o comentário e acrescento que achei o texto péssimo, simplificador de culturas, gostos, valores. Há tanta preocupação com a aprovação dos homens, aprovação dos pais e cobrança de mudança de uma situação que não é fato. Há pessoas diversas, procurando pessoas diversas e acredito somos seguras, empoderadas como mulher e ser humano, quando somos o que queremos ser.
      O pior de tudo foi substituir um esteriótipo por outro. Existe a mulher comercial de margarina ou a mulher da tela de Sex In The City? Deixa de ser um objeto pra ser outro, esse objeto classe média cosmopolita deslumbrada.

    5. Comentário perfeito! E digo mais, para a infelicidade da coitada, eu encontrei um homem com um discurso assim; ele me apoia nas minhas escolhas e me impulsiona a ter o maior sucesso que eu posso alcançar 🙂

  4. O rapaz deu a opinião é caíram matando nele…Gente, é só a opinião dele e não vi nada absurdo.
    Hoje as coisas estão mais difíceis, e querendo ou não, mulher trabalhando é bom e necessário para ajudar a manter a família, junto a seu parceiro, porém tem a questão do exagero e isso requer escolhas. Se a vontade for ter um grande crescimento profissional, terá casos em que será exigido pouco tempo em cada ou quase nada, e isso é fato…E aí o casamento vai desabando aos poucos sem a intenção dos dois, acontece simplesmente por não estar sendo cativado, vamos ser realistas…Sem essa de “ah, os dois se ajudando, blá, blá…”, claro que muitos conseguem sim, depende de cada pessoa, mas tem casos que não dá e ponto.
    Quando se escolhe algo, perderá outro algo e isso é inevitável, e aí cada qual sabe o que é melhor para si.

  5. Sou mulher e almejo trabalhar e ser bem sucedida, não preciso de alguém para dizer o que posso fazer, o que devo ser e como eu devo estar na vista das outras pessoas, isso eu mesma tenho capacidade de construir, minha vida, desejo ter um parceiro que me de apoio assim como vou da a ele em suas decisões. Eu não me sinto confortável em tentar ser o que é legal para as outras pessoas que eu seja, sempre digo e torno a dizer, não tenho a menor vontade de ser aquela mulher que esqueci de si pra cuidar da “família”, uma lar não pode ser construído com o esforço de apenas uma pessoa, cuidar de tudo,alimentação, roupa, educação, e no final ser criticada, ser julgada se algo der errado, ser a culpada de uma traição, simplesmente porque não esteve impecável o tempo inteiro, uma mulher precisa esta acima de tudo isso, não estou em contra-posição a família, de maneira alguma, mas vê histórias repetidas já me cansou e me deixou sem animo para casar, tenho pavor só em pensar em esbarrar com um homem que ache que eu vou ficar feliz em passar o dia servindo, esquentando barriga no fogão e esfriando no tanque, não nasci pra isso, nunca gostei, quero que ele me leve pra sair, ande comigo, não me coloque nessa posição, ele não terá uma serviçal, terá uma ESPOSA, quero ser a mesma do inicio ao fim, não quero que depois de um ano ele me olhe e não me reconheça, companheirismo sempre, um ao lado do outro, não precisa ser diferente, o cuidado precisa ser mútuo, e isso não é querer demais é um desejo pro futuro, ser independente e mais feliz.

  6. O que me deixa mais feliz nessa vida depois de trabalhar muitos anos para os outros?
    Ter conhecido meu marido e termos hoje nossa jóia rara. Nossa filha!
    Hoje trabalho pra eles. Meu marido e minha filha. Meus melhores chefes!
    Nossa casa é nossa empresa. E sim, cuido com muito amor e carinho de nosso lar. Muita energia positiva em tudo!
    Trato meu marido muito bem pra que ele tenha sempre um sorriso e muito amor para me dar. Assim como faço com nossa filha. Depois de muitas viagens pelo mundo, hoje sei que meu paraíso é ao lado deles e em nossa casa. Mas, essa é a minha felicidade! Para muitos e muitas a felicidade não é assim tão “simples” como a minha. Respeito! E espero de coração que a possam encontrar!

    Abraços,
    Angela QFC e Sudres

    1. Parabéns Angela.

      Minha mulher também cuida da “nossa empresa” chamada lar. Ela que faz a gestão do maior patrimônio que tenho na minha vida: minhas filhas!

      Só um detalhe, ela que cuida de toda nossa parte financeira, se me perguntarem quanto tenho no banco, vou ter que consultar minha esposa! No trabalho todos acham um absurdo eu ligar pra minha esposa pra perguntar se posso gastar algum dinheiro.

      Isso é parceria, quando ela engravidou de nossa primeira filha, decidimos que ela não trabalharia mais para cuidar de nossa família. Ela não renunciou sua independência, ela fez uma escolha: se doar para nossa família. Isso que falta hoje nos relacionamentos, renúncia… se desprender de si para cuidar de sua família.

      Empregos passam, carros se vendem, posições se perdem em empresas, mas a família sempre existirá, onde está nossa prioridade?????

      1. Pra mim isso é o que funciona Fernando! E sabe porque a mulher rasgou o sutiã? Para quem realmente comanda o mundo receber mais impostos e assim os pais não criarem mais seus filhos. Assim teriam maior comando. Que é na verdade o que acontece!

  7. O erro do homem e da mulher eh exatamente este post, sempre achando que tudo na vida tem que pensar, raciocinar e ter explicação. Nesse momento eh que deixamos de viver, ta na hora de não se importar mais com a historia, viva e deixa acontecer, sem pensar no que cada um faz e almeja a fazer. Felicidade não eh conquistar ao mundo, eh saber conquistar si próprio.

  8. A maioria dos homens ainda não se acostumaram, com essa independência que nós mulheres vem adquirindo… Eu me sinto orgulhosa em ver a minha geração de mulheres, se desprendendo dos homens e conquistando o seu espaço dignamente na sociedade e digo mais… muitas delas, tem um homem ao lado dando-lhe o devido apoio, mesmo que seja (talvez), por medo de perder a companheira.

    1. Bem etendo essa reinvidicação porém o que faz uma mulher se interessar por um homem e até mesmo um homem sentir “mais facilidade para conquistas” é um homem ter mais inteligência emocional que a mulher. (pesquisem sobre isso antes de falarem qualquer besteira) Esses tipos de atividade e metas exige muita inteligência emocional, muitas vezes até mesmo dominio do popular “instinto de rataria de rua”. O problema é que quanto mais inteligência emocional uma mulher tem, mais difícil fica para a mesma se atrair por algum homem porque ela terá que procurar alguém que tenha mais inteligência emocional que ela.

      Falo por experiência própria e por diversas pesquisas que andei fazendo sobre conquista feminina. Infelizmente por questões culturais e biológicas nós homens ficamos muito a desejar quano se trata de inteligência emocional. Sim nesse ponto as mulheres são superiores aos homens. Para um homeme evoluir emocionalmente o que uma mulher evolui temos que nos esforçar 3x mais. Por isso que as meninas na escola reclamam de imaturidade dos meninos e elas tem tendência a ter notas melhores que os meninos.

      Homens gostam de procurar as “amélias” porque o esforço emocional para conquista é bem menor do que conquistar e manter uma mulher independente e muito equilibrada emocionalmente. Para conquistar mulheres como o blog cita só mesmo sendo empresário, militar de alta patente, líder de uma grande empresa ou o homem tem que passar por muitas bizarrices cinematógráficas para adiquirir tanta inteligência emocional.

      O que aconteceu é que de uns anos para cá pos revolução sexual, as mulheres passaram a ficar mais independentes e autônomas de si, com isso elas sem querer passaram a ganhar muito mais inteligência emocional que os homens, já que por preguiça e para tentar contrariar isso nos acomodamos. Nunca houve nada na história da revolução sexual para homens do ponto de vista emocional. Só desestímulo.

      O desestímulo e desmotivação mais comum para homens desenvolverem inteligência emocional é a negação de conhecimento emocional. DIZER PARA O SEU FILHO HOMEM NÃO CHORA, OU EVITAR DE DEMOSTRAR CERTOS TIPOS DE COMPORTAMENTO POR SER CONSIDRADO CONSIDERADO SENSÍVEL, É O MAIOR DESESTÍMULO PARA DESENVOLVER ISSO. Há uma ídéia de que os homens só podem demostrar deboche ou agressividade. O que nos impede ou nos atrapalha em desenvolver inteligência emocional.

      É mais ou menos o que acontece com as mulheres do ponto de vista sexual. Assim como a liberdade seuxal é um tabu para as mulheres, a liberdade emocional é um tabu para os homens. E bota tabu nisso.

  9. Concordo com o Texto… meus parabéns… acho que em uma relação só da certo se um um não precisa do outro. As pessoas devem aprender a se bastar e entender que estar ao lado de alguém por querer estar e não esperando que a outra pessoa lhe complete.

  10. Eu prefiro uma mulher que entenda de computação, pra não ficar me interrompendo com perguntas a todo momento. Prefiro uma mulher que dirija bem, àquela que passa com o carro no vermelho, embaixo duma carreta e chega em casa, com a maior cara-lavada: “amor, tive um acidente hoje, o carro tá ‘um pouco arranhadinho’…”
    Prefiro, sim, uma mulher dessas “de igual pra igual”, porque, pra mim, andar por aí, com namorada ou esposa submissa ou dependente, é atraso de vida. E se eu cair? Quem vai me levantar?
    Mas essa é minha preferência; não é melhor nem pior que a de ninguém.

  11. Só sei de uma coisa. Estas feminazis de hoje em dia não vieram trazer liberdade. Vieram trazer mais opressão…
    Vocês acham que algum homem fica revoltado com a marcha das vadias? a maioria assiste a aplaude o show gratuito de nudez… (quero deixar claro também que eu sinto pena dessas mulheres, não compartilho da opinião da maioria dos homens, não por reivindicar seus direitos mas pela forma turva de faze-lo)

    Agora a questão principal é que , muitas não querem igualdade, querem dar o troco.
    Minha namorada é um exemplo de garota que corre atrás de ser independente, viaja faz cursos, e quando ela comenta que não concorda com determinado ponto de vista, é apedrejada com comentários rudes que o mais machista do mundo não teria coragem de escrever.

    A verdade é que pra ser tudo isso que a frustrada ali de cima disse, não precisa abdicar de ser uma mulher companheira, cuidadosa, carinhosa, delicada… Não precisa deixar de se cuidar…

    Vi o comentário de uma garota a pouco dizendo que muitos namorados apoiam a namorada nem que seja por medo de perde-la, quanto tempo vocês acham que uma relação assim vai durar? quanto tempo alguém tem saco de ficar com medo 24/7? isso não é amor… Se a pessoa não dá o devido retorno, ela vai ficar sozinha.

    Á, e só pra finalizar.
    O mundo não corre atras de ninguém… O mundo não vai te trazer felicidade.
    Você tem que achar a felicidade dentro de você. Se não você vai acabar ficando como essa mulher que escreveu esse texto. Independente do seu sexo, se não procurar a alegria em si mesmo, vai ficar sozinho(a) culpando os outros ou o mundo de não te aceitar, enquanto é você mesmo que não se aceita.

    E se você ama, você cede, óbvio que não em tudo, mas cede, só pra ver o outro melhor e mais feliz.
    Assim como eu cedi, sai da minha cidade e vim pro RJ pra que a minha namorada tivesse uma maior chance de arrumar emprego, larguei família, amigos… Só pra poder ajudar ela a crescer.

    Então se você não se preocupa com o futuro e o bem estar do seu companheiro, sinto informar, mas esse seu amor é no mínimo preocupante.

  12. É muito bonito este discurso feminista , mas sinceramente a grande maioria dos homens quer sim uma mulher que seja feliz no que faz , companheira mas não individualista ,que só precise do homem para sua satisfação …
    Vejo muita mulher solteira reclamando que homem não quer nada sério … mas quando encontram querem ter um relacionamento semelhante a quando estavam solteiras ….
    Infelizmente homens não querem isso … sinto que os próximos anos será de uma geração muito individualista, solteira com relações rasas e focadas no carnal .
    Uma pena … sou a favor do amor para dois …!!!

  13. EDUARDO HILLEBRAND
    Você disse tudo que eu não consegui expressar …
    Realmente quem ama cedi e se preocupa com o outro …

    E não conheço um amigo meu que não vai ver a macha das vadias para comentar os peitinhos das “vadias ” . Também não conheço ninguém que peça para a sua mulher ou namorada ir participar desta marcha e ainda pedi para irem seminuas …

    Liberdade nada tem haver com promiscuidade e egoismo .

  14. vejam o que uma moça falou sobre o feminismo “Uma resposta a todas as mal comidas que enchem a merda do saco: Sobre a frase hipócrita do “só queremos igualdade” – Bancar a ingênua que idealiza um mundo colorido e amoroso é muito feio, ainda mais se você tem mais de 13 anos.Todo mundo, principalmente as mulheres (de quase todas as gerações) sabemos que o feminismo já não é mais igualdade. Elas querem uma superioridade, elas querem se achar acima dos bons costumes, da moral, da ética, das leis, do respeito. Digo isso por ser óbvio e até porque já li e ouvi várias feminazis comentando isso e fazendo gracinhas aos homens dizendo que “igualdade? Hahaha uzomi são muito ingênuos” exatamente com essas palavras irônicas e com essa expressão arrogante. A partir do momento que a mulher já tem um monte de privilégios e direitos e palhaçadas (até demais), na maioria das vezes até mais que o homem, (BEM MAIS) ela não deve exigir mais nada. Vai exigir mais o que? O teu “direito” de abrir as pernas pra Deus e o mundo? Você tem. Só que você vai ser puta sim, vai ser suja sim e todo mundo vai te ver desse jeito, sendo homem ou mulher. Vai exigir o aborto? Não, abriu as pernas com o cara que você tanto quis dar, agora assuma com ou sem ele. Quer sair de peito de fora na rua? Atentado ao pudor. Assim você tá dando direito de maníacos depravados saírem de pinto duro na rua. O ser humano TEM QUE ser íntimo, TEM QUE ter pudor. Quem tem muito direito e não tem obrigação não tem que exigir nada. Mulher que tem mais o que fazer na vida, que se garante, trabalha, tem filhos (ou não, não necessariamente) que é mulher de verdade, não fica perdendo tempo se vitimizando pra um grupo de vagabundas acéfalas e de cérebro pequeno vir defende-lá. Não perde tempo usando o “femimimismo” pra tirar sua culpa e responsabilidade das coisas que elas faz, seja certo ou errado. Feminismo original, aquele de lutar pela e com a mulher já acabou há muito tempo. Não tem mais o que ser exigido. É um bando de mulher que não se contenta com o que já foi dado e que tem um grande risco de ter suas mordomias cortadas pela sociedade. O que seria o certo, sinceramente, porque essa mulherada mimizenta já deu no saco. “Feministas” por conveniência não passarão, nem feminazis, muito menos mulheres que vão contra toda a moral de uma sociedade. Simples assim, tomara que um dia essas pessoas evoluam e percebam que nunca vai acontecer. E lembrando aquela velha frase batida de quem pega ditadinho da Feminismo Sem Demagogia “ah, uma pena ver uma mulher usando esse discurso machista reproduzido por tanto tempo pela sociedade etc etc etc e outras coisas que ninguém liga”: não sou machista, não sou feminista, eu só acho é que o ser humano tem que evoluir muito e perceber que somos todos a mesma merda. E em comparação com o tamanho do universo, querida, a gente não tem importância alguma. Homem e mulher tem SIM que se dar ao respeito antes de exigir respeito dos outros, tem SIM que se manter privados por um lado, TEM SIM que parar de exigir e exigir e exigir. Não tem mais o que ser exigido. Nem do homem, nem da mulher. Vão fazer alguma coisa que preste ao invés de ficar feminazando a porra do Facebook com suas frases feitas” SEM MAIS

  15. Nada como a simplicidade

    Quando tinha 14 anos, esperava ter uma namorada algum dia.

    Quando tinha 16 anos tive uma namorada, mas não tinha paixão.

    Então percebi que precisava de uma mulher apaixonada, com vontade de viver.

    Na faculdade saí com uma mulher apaixonada, mas era emocional demais.

    Tudo era terrível, era a rainha dos problemas, chorava o tempo todo e ameaçava se suicidar.

    Descobri que precisava uma mulher estável.

    Quando tinha 25 encontrei uma mulher bem estável, mas chata.

    Era totalmente previsível e nunca nada a excitava.

    A vida tornou-se tão monótona que decidi que precisava de uma mulher mais excitante.

    Aos 28 encontrei uma mulher excitante, mas não consegui acompanhá-la de um lado para o outro sem se deter em lugar nenhum.

    Fazia coisas impetuosas, paquerava com qualquer um o que me fez sentir tão miserável quanto infeliz.

    No começo foi divertido e eletrizante, mas sem futuro.

    Decidi buscar uma mulher com alguma ambição.

    Quando cheguei nos 31, encontrei uma mulher inteligente, ambiciosa e com os pés no chão.

    Casei com ela. Era tão ambiciosa que pediu o divórcio e ficou com tudo o que eu tinha.

    Hoje, com 40 anos, gosto de mulheres com bunda grande… E só!

    Nada como a simplicidade…

  16. Acho um exagero dizer que não nunca ouviu um discurso desses. Sou homem e não me sinto confortável com uma companheira que dependa de mim para tudo e não saiba se virar e enxergar as necessidades ao seu redor, que não saiba dirigir bem. Na verdade faltam mulheres assim no mercado e muitos homens já estão de saco cheio de ainda encontrarem mulheres que vivem com a cabeça lá no passado. Talvez o que falta é bom senso, talvez mulheres com mais atitude tenham se focado muito em seus planos e deixado um pouco de lado os sentimento mais simplistas como o carinho, o amor que fazem parte de qualquer relação. Fazendo com que percam a prática e naturalidade de se relacionar bem com seu par. Este tipo de comportamento ocorre muito com homens que também se focam muito em seus planos, carreira, sucesso, dinheiro e vivem uma vida solitária ao lado de seu par fazendo-o tornar-se invisível. Dando espaço para homens que sabem conciliar todas estas tarefas e ainda serem gentis, carinhosos, conquistadores de suas esposas. Como homem confesso este tipo de homem de sucesso e ainda um bom marido também é raridade.
    Ou seja as mulheres hoje passam por mais problemas que nós e ainda tem que lhe dar com o grande problema da conciliação do relacionamento com o mundo externo se que um afete ao outro.
    Se os homens durante anos ainda não sabem lhe dar com isso, vocês também não aprenderiam da noite para o dia, mesmo assim ainda prefiro esta mulher cheia de atitude ao ter uma marionete em casa, só posso ser feliz com pessoas reais que agem com sua própria vontade e não por que são subordinadas.

    Tendo bom senso tudo vai bem para ambas as partes.

  17. Acho que você está olhando a situação por um ângulo distorcido, o seu.
    Fato é que sim, a sociedade evoluiu, hoje nós temos mais direitos, buscamos mais educação e menos aulas de etiqueta, trabalhamos, entendemos de importo de renda, como você mesma disse. Mas nós, mulheres, não evoluímos sozinhas!
    É bizarro pensar que em tanto anos, somente as mulheres passaram a viver em um mundo em que “podemos mais”, enquanto homens permaneceram no mundo de “mulher pra casar e mulher pra zoar”. Existem homens muito esclarecidos, inteligentes, com muita vontade de encontrar uma mulher independente, que esteja menos interessada em seu batom e mais na economia.
    Convido você a refletir se esse mundo, tão cheio de homens buscando princesas onde você vive é mesmo real, ou você só está usando isso como subterfúgio para permanecer sozinha, no topo da cadeia alimentar, com seu peito estufado e o nome Sourbone no currículo? Digo isso, e me desculpe se de maneira seca, porque sou uma mulher independente também, de amigas independentes, cultas, chefes, empreendedoras, fod´sticas e já ouvi muitas delas com esse mimimi de “os homens não estão preparados para nós”, quando na verdade existe pouco ou nenhum empenho em verdadeiramente se permitir gostar de um cara legal, independente e super afim de encontrar uma mulher foda pra viver a vida! Porque amar, entregar-se dá medo e usam a desculpa do “sou foda demais pra essa sociedade machista” para não precisarem se deixar serem amadas.

    1. kkkkk hilário o seu texto. e na verdade o melhor escrito entre todos os anteriores. Embora, para alguns, o final possa parecer “escroto” é a mais pura realidade. Ao final o que o homem quer mesmo é uma boa bunda. O que vai muito de encontro ao que a autora diz em ” os pais criam as filhas para o mundo , mas querem noras que vivam em função da família” em outras palavra é o mesmo que acontece com os homens. Estes são criados para pensar num futuro prospero com um bom emprego, deve pensar em construir família e tal, mas no fundo o que interessa é a bunda.

      Devo ressaltar, óbvio, que muitos pensam o contrário, Mas ai o que acontece? Pelo menos com os que conheci, As mulheres os acharam bonzinhos demais.

      No fundo eu acredito que tanto homens quanto mulheres tiveram sua “evolução”, quebraram paradigmas e tal, mas no fundo, diferente do que muitos acreditam, ainda vivemos, socialmente refletindo, na era das cavernas. De uma forma diferente, mascarada como evoluída contemporânea, A mulher ainda é, não deveria ser, submissa ao homem. Elas querem ficar saradas, mas raras são as que o fazem apenas para se olhar no espelho e se apreciarem. Muitas querem e lutam pela independência financeira, pessoal, emocional, mas são são capazes de segurar as pontas quando surgem as consequências – uma delas o fato de estar sozinho – Muitas almejam ser mães, mas ao se tornarem uma, delegam a função a terceiros. E o homem, claro não todos repito, nesses questionamentos só pensam na bunda.

      Sinceramente, novamente mencionando a autora, e neste caso discordo em seu parecer, é sim culpa do homem, é sim culpa da mulher, uma vez que somos nós a compor a sociedade. Talvez não seja uma culpa direta, pois apenas repassamos o que nos foi ensinado, mas é sim nossa culpa quando sabemos, ao olhar para dentro, o que é preciso mudar para ver o que se pode ser melhorado , mas preferimos nos abster-nos a responsabilidade e pior, tentamos corrigir o outro.

      Já voltando à seu texto, Armi, além do extraordinário final, você sintetizou muito bem o que tem acontecido com a sociedade. Não é a mulher independente, submissa, mãe, dona de casa que nos assusta…

      Na verdade o que nos assusta, sejamos nós, homens ou mulheres, é a nossa incapacidade de definirmos nossos critérios, até hoje não sabemos o que queremos. E enquanto não nos decidimos em defini-los, temos a “perfeição” como objetivo final. E não havendo pessoas, consequentemente, relacionamentos perfeitos, ficamos assim…

      E neste contexto a perfeição pode ser traduzida como: Quero alguém que seja independente, mas que faça tudo o que eu quero e me entenda quando eu não fizer o que ela quer”, ou algo do gênero.

    2. Na verdade, com a evolução tecnológica, o que menos estamos dispostos a nos dedicar é a um relacionamento ne Mariana Hermanson?

      Queremos tudo o que nós é apresentado, mas sem refletir sobre as suas consequências.

  18. Engraçado como algumas pessoas nos comentários não entenderam a mensagem que é bem simples e como alguns comentários só reforçam o ponto vista do texto da contradição e despreparo da sociedade. Sem contar o velho habito de querer ter muita opinião com pouca reflexão.

  19. Sou feliz com a minha namorada, ela é batalhadora, estudiosa e muito muito competente, mas acima de tudo é minha parceira, caminhamos lado a lado em todos os aspectos da nossa vida, planejamos hoje o futuro de amanhã e queremos sim viver ele da melhor forma. FIlhos vamos ter sim, mas no nosso momento, estamos lutando por um futuro melhor, trabalhamos juntos e somos felizes assim, quero que ela ganhe o mundo cada vez mais, assim como tenho certeza que ela quer o mesmo para mim, afinal estamos de mãos dadas na caminhada não é mesmo? Acho que o fato da pessoa ser independente PROFISSIONALMENTE não tem a ver com independência AFETIVA. até porquê, as pessoas que se julgam assim, que estão sempre dizendo que se auto-suprem acabam sempre sozinhas, amarguradas e sempre a reclamar dos outros casais que constroem suas vidas.
    É preciso saber separar as coisas. =)
    Ainda mais hoje em dia, onde o Homem tornou-se mais sensível, acompanhando automaticamente a mudança que a mulher em geral conquistou nas últimas décadas.
    Isto está me soando um pouco a preguiça dessa conquista, porque em alguns momentos me parece que você adora, mas ao mesmo tempo reclama do que conquistou. Volto a dizer, é preciso saber separar as coisas =)
    Seja feliz…

  20. No fim no fim a verdade é que quem vem chorar na internet não tem nada de independente por que se realmente fosse independente não viria aqui chorar pra procurar apoio…

  21. Esse texto é muito antiquado. Parece ter sido feito por alguém que viveu nos anos 60 e acordou só agora. As mulheres evoluíram em todos sentidos sim, mas os homens tbm. A sociedade evoluiu como um todo, não foram as mulheres que se tornaram superevoluidas e subjugaram os homens a ponto de não precisar deles. E só pra fuder com meu comentário, aposto que a escritora é mal comida

  22. Desculpe, mas sinto confirmar que seu recalque tem fundamento, porém, não é o homem que precisa se tornar seguro pra merecer tão especial pessoa como você parece achar que é porquê conquistou sua independência.

    Homens são atraídos por MULHERES, logo, demostrar feminilidade faz parte do repertório para você se tornar atraente aos olhos de um homem e cerveja, UFC, palavrão e futebol não ajudam mesmo.

    A atração sexual não é algo lógico, nunca foi. É algo que desperta no nosso inconsciente. Você adotar posturas masculinas e pedir que os homens valorizem isso é a mesma coisa que um homem afeminado pedir pra você se sentir atraída por ele (você sabe do que estou falando e sabe que não vai se sentir atraída por ele).

    Apesar disso, nada impede você de ser independente, ajudar nas finanças, sair com as amigas de vez em quando, também não precisa lavar cuecas, nenhum homem vai ficar com medo (ou simplesmente, sem atração nenhuma) por você por isso.

    Agora se você não consegue encaixar no seu cronograma um tempinho pra cuidar da aparência, vai passar 5 noites por semana com as amigas, vai viajar 3 vezes por ano sozinha pra explorar o mundo, vai falar palavrão o tempo todo e não consegue demonstrar o mínimo de delicadeza, então, acho que seu negócio não é homem, ou não deveria ser.

    Mulheres gostam de homem seguros, independentes e poderosos.
    Homens gostam de mulheres bonitas, delicadas, bem arrumadas e que fazem eles se sentirem dessa maneira descrita acima que vocês tanto gostam.

    Pense nisso.

    Abraços,

  23. Impressionante como as pessoas, homens e mulheres evoluem, mas se esquecem que o modelo de relação homem, mulher e talvez filhos não lhes pertence mais, é algo que não combina com egoismo, e veja bem, não no sentido ruim, naquele egoismo de fazer o que te da na telha, ser independente, não se prender a nada… Esta a procura de uma relação de troca? então reveja seus conceitos ou então faça como a maioria faz, vá ficando que da menos dor de cabeça rsrsrsrsr

  24. “Quando nasce um sapo, nasce a sapa”. Para cada mulher que encontra sua felicidade da simplicidade do lar, com seu marido, filhos e feijão no fogo, existe um homem confortável em ser o chefe da família, provedor do lar. As pessoas tem demandas diferentes. Ora, se você, homem, quer uma mulher mais “família”, que queira dividir um lar, ter filhos e que cozinhe a ceia de natal, então encontre-a. Somos muitas, de todos os tipos. A felicidade é um dom extremamente particular. A Minha felicidade está na possibilidade de ganhar o mundo. Eu quero sucesso profissional, quero viajar, estudar, conhecer pessoas e culturas diferentes, mas também quero ter alguém para dividir tudo isso comigo… isso é estranho? Nunca ninguém vai me querer? Que bobagem! Parem de tentar dizer como as pessoas devem ser ou agir. Meu sapo eu já achei faz tempo…

  25. Ainda a uns dias atrás ouvi a seguinte conversa:
    “Padre: Pra você qual é a importância do casamento?
    Noivo: Ah padre, Eu quero casar pra ser feliz!
    Padre: Então nem vale a pena você casar meu filho…
    Noivo: Ué, porquê padre? Você não devia estar me dando conselhos para casar em vez de me desmotivar!
    Padre: Meu filho entenda uma coisa, ninguém casa para ser feliz mas sim para fazer o outro feliz!”
    O (A) homem (mulher) quer uma (um) mulher (homem) independente, mas acima de tudo uma companheira(o), alguém que o(a) faça feliz e não que seja feliz…

  26. Então está conversando com os homens errados. Ou às vezes repetindo os padrões machistas na busca do oposto. Eu exatamente espero o que você chamou de hipotético acima. E sofro preconceito de outros homens, que são machistas, e pior, de muitas mulheres que são também machistas. Concordo que são poucos, mas esses homens existem, é que às vezes eles não correspondem às exigências estereotipadas e machistas da maioria das mulheres

  27. Parabéns pelo texto bem escrito, claro e objetivo. Concordo com você, mas preciso fazer algumas ressalvas. Sim, esse é o tipo de mulher que eu procuro! Claro que não sonhei com todos esses adjetivos, estaria sendo hipócrita, mas procuro uma mulher independente, que goste de trabalhar e estudar, assim como eu, que queira sair para jantar alguns dias, mas que em outros me ajude a preparar o almoço. Deve sim fazer o que quer com seu salário, mas deve primeiro partilhar das contas comigo, o futuro da nossa família será pensado em conjunto. Não é uma cantada e não, não tenho a mínima vocação para ser homossexual.

    Fui criado ao entorno de três mulheres guerreiras, minha mãe sempre trabalhou, começou aos dezessete anos, mesma idade que minha irmã mais velha começou a trabalhar e mesmo assim são graduadas. Cresci aprendendo a varrer a casa e o quintal, a lavar roupas e passa-las, a cozinhar e a ter paciência com as famosas TPM.

    Mas te pergunto uma coisa, vocês estão preparadas para homens assim? Vocês estão prontas para ter liberdade num relacionamento e ao mesmo tempo assumir um compromisso? Vocês querem formar uma família? As mulheres que eu encontro parecem ter medo de um homem assim.

    Precisam ser seguras, mas não são. Isso mesmo as mulheres são muito inseguras e eu respeito e gosto muito disso, afinal não se pode ser tão perfeita!

  28. O interessante dos texto e dos comentários é justamente refletir sobre qual o perfil de relacionamento homem/mulher hoje em dia. Como os próprios comentários mostram, vários caminhos e soluções foram tomados e, ao que parece, muitos foram bem sucedidos na empreitada. A questão é saber porque. Arriscaria a dizer que o segredo é quebrar com o “eu sou melhor que você nisso ou naquilo”.

    Mas as feministas parecem não se conformar.

    Eu atribuo esse inconformismo à algum tipo de ressentimento das mulheres em relação aos homens, pois só isso explica o fato de ainda haver feministas. Essas precisam se libertar de suas traumas pessoais com os homens – ou com o pai – e se abrirem para outras possibilidades.

  29. Excelente perspectiva e muito real.
    Mas a grande questão é o que espera a mulher de si própria?
    Que futuro quer construir para si como mulher do mundo e como harmonizar o seu lado de força masculina (acção, concretização, luta, força, poder) sem perder a sua essência, feminilidade, a sua parte amorosa e de reprodução-procriação?
    Isso tem sido um caminho muito penoso para milhões de mulheres.
    Na minha perspectiva, o belo virá quando se atingir essa harmonia porque a magnitude da mulher está na sua feminilidade! Ou seja, evoluir mas sem perder de vista a sua essência.

  30. Cê me perdeu baby! o/
    Minha princesa passou um ano fora, quem paga as contas é ela (mesmo o dinheiro sendo nosso), e tudo mais que vc falou aí! =)
    Ah, ela ERA pééééééééssima na cozinha! O primeiro feijão, que ela fez -por pura aventura- parecia amendoim ( eu comi tudo! Pq eu sou caveira, meu capitão.
    Um cheiro! A mulher mais massa! Mais massa meeeeesmo! É aquela a que não enche o saco da gente. Essa tá difícil de achar!
    MAS EU ACHEI!
    TIRUPÉDOCHÃOBABADONOVO!
    Valeu Bahia!

  31. Vc percebe que eu me empolgo quando a pontuação é toda cheia de “enters” e “exclamações”. =)
    Mas a culpa é dela, eu assumo! =P

  32. “Pois é. Ainda não ouvi esse discurso de nenhum homem”
    Está procurando no lugar errado querida!
    O problema está no dedo da mulher! Não sabe escolher os homens!
    Continua sempre escolhendo os errados! Isso está nos estereótipos!
    Uma (ex?) prostituta que escreveu um livro (não lembro o nome) explica isso em detalhes.

    Sou casado a 7 anos (com a minha primeira namorada e única), faço maior força que minha esposa se mantenha firme em seu trabalho e cresça nele, que não se envolva com a minha empresa muito menos dependa de mim por/para isso, tenha seu próprio carro, seus próprios bens.
    Parabenizo ela a cada conquista e/ou sucesso em qualquer área que seja.
    Ajudo ela nos estudos, critico quando necessário, “brigo” quando quer faltar a aula ou o trabalho.

    Meu estereótipo? Meio a moda nerd, sem nada de interessante, magrelo, branquelo, na escola tinha só 1 ou 2 amigos na sala, era zuado constantemente, tirava notas boas, fissurado em video-games e computadores, trabalho sozinho na área.
    Muito controlado, honesto, fiel, um pouco pessimista e perfeccionista.

    Abram os olhos mulherada!

  33. Lamentavelmente quem escolhe para o casamento é o homem, por isso em parte a instituição casamento está falido, pois essas mulheres já existem e bastante quantidade e de uma forma ou de outra o homem já compreende tanto que não querem mais assumir compromissos em função de quem a formação basilar deles assim como das mulheres foi a perpetuação da família de forma disciplinada e compromissada. A independência total da mulher passa pela extinção da família tradicional. É um preço a ser pago com a reformulação social, portanto o homem precisa evoluir nesse aspecto e encontrar uma forma de absorver esse novo comportamento dessa nova mulher. Na minha visão o problema está literalmente no comportamento da mulher em querer ser igual ao homem ao invés de lutar pelos seus direitos.

  34. Homem não se importa se ela for independente ou o caralho a 4… homem não gosta de mulher ”rodada”…

  35. Os tempos estão mudando, não sei até que ponto isso é bom ou ruim, para um ou para o outro lado, só sei que toda mudança pressupõe lucros e prejuízos, resta colocar na balança para termos noção de se a sociedade está ganhando ou perdendo com as mudanças, só sei que o texto e o contexto me fez lembrar de uma piada velha, tão velha que cabe até uma pequena adaptação: a menininha ao ver um menininho nu notou a diferença e chorando pediu para a mãe —Mãe eu quero… A mãe, com a inteligência das mães então respondeu —Não chore minha filha, se você for uma boa menina, quando crescer terá um só seu, (se for boazinha demais terá um compartilhado com outras meninas), mas se for uma menina má terá vários… (Só que quem tem vários não tem nenhum…)

  36. Sua mãe parece que não te ensinou o principal tudo tem um preço, então você vai ficar sozinha.

  37. O engraçado que o povo fala tanto de não julgar… mas estão um monte condenando o texto porque essa é a realidade da moça que escreve mas não a de alguns que estão lendo.
    Pra quem escreve e gosta de escrever, e ler… sabe que muitas vezes se generaliza, fala-se de sua vivencia e de seu ponto de vista…
    Em nenhum momento falou que era verdade absoluta… mas a maioria já gosta de julgar e criticar…
    É… que coisa….
    Realmente, as pessoas estão cada vez menos compreensivas e “lutando” pra acusar os outros de que estão errados…
    Bela evolução….
    Acho que não são “os homens” do texto dela que estão podando muitas pessoas…

  38. Eu sou independente, ganho bem, trabalho pra caramba, vou ao shopping e compro o que eu quero sem dar satisfações. Cozinho maravilhosamente bem e adoro fazer um jantar especial para meu marido, que além de ser um baita parceiro de vida, não me cobra nada e entende que minha independência é algo muito bom.

    Mas é claro que eu adoro cuidar e ser cuidada! Quem não gosta de chegar em casa e ter um namorado/marido te cuidando, te mimando, te levando café na cama, te dando flores quando você menos espera, te surpreendendo só pra te deixar feliz? Quem não gosta de preparar aquele jantarzinho especial, com um bom vinho para curtir esse momento com quem se ama e ser feliz? Quem acha que é um obstáculo ter um relacionamento e conseguir ser independente e feliz, é porque realmente não sabe ser feliz!

  39. “Na verdade seria perfeito se na prática estivéssemos vivendo a nova era das ‘Maravilhosas Mulheres Felizes e Independentes’, como descreve o texto! Seria até fascinante para os homens, ter uma mulher parceira, que é livre e quer estar junto; que quer colo, mas quer um bom sexo; que é livre e quer ser companheira; mas o problema é que, grande parte destas mulheres modernas, ao invés de assumir que são muito mais ‘evoluídas e poderosas’ que os homens, e assim chamá-los na responsabilidade e adequá-los à esta nova realidade, estão se igualando aos mesmos, confundindo liberdade com libertinagem, e deixando-se seduzir pelas mesmas vulgaridades, das quais os homens sempre foram escravos e infelizes! À muitas mulheres (e muitos homens) ainda falta a experiência de que “fazer amor”, dá mais tesão do que mil trepadas! Esse é o ponto crucial! Até porque, o que mais importa para a ESSÊNCIA de qualquer mulher, seja ela antiquada ou moderna, do futuro ou neandertal, velha ou jovem, preta ou branca, magra ou gorda, hetero ou homo, linda ou simplesmente bonita, é o FIEL E VERDADEIRO AMOR!

  40. Paloma……Essa mulher diz tudo o que um ser humano deveria pensar…. Sem mais.

  41. Eu defendo esse discurso! Mas já o fiz para uma outra mulher. Apenas uma parte está incorreta: ela malha e é sarada.

Os comentários estão fechados.