O seu silêncio é ensurdecedor

whisper-ear_jpg

Querido, não me importo de ouvir você falar dos teus envolvimentos com outras mulheres, de quanto você acha essa ou aquela bonita, o quanto ainda gosta da tua ex, do quanto te irrito e sou chata, o quanto a faculdade está te sugando e irritando, da sua irmã, pai, mãe, papagaio e até do seu cachorro.

Me conte do seu professor chato, do cara que te fechou no trânsito, do dia que perdeu o horário, da crise que o Brasil vem passando e como ela está te afetando.

Conte sobre o seu jantar de ontem, da louça que você detestou ter que lavar, do último filme que assistiu, do tempo que passou na casa da sua família, dos lugares que foi com seus amigos, da confusão que estava sua vida e seus sentimentos.

Me fale dos amigos que moram com você, daquele vizinho chato que tem mal gosto musical, das cantadas baratas que você passa por ai, da sua nova vizinha ou daquela colega de faculdade que é uma graça.

Me fale do clima, estrelas, lua, sol, noite e do dia.

Conte-me dos sonhos mais bizarros que você já teve. Das brincadeirinhas sem graça que seus amigos fazem com você. Me conte seus desejos e dos seus planos para depois que se formar.

Fale sobre futebol, MMA, e vídeo game. Me conte os teus medos e sobre a sua fé. Compartilhe comigo sua infância. Conte-me das vezes que seu pai te bateu e daquela vez que você foi mordido por um cachorro…

Fale do preço abusivo da gasolina, do livro que você começou e não terminou, do dia que o carro empacou e você se desesperou, da ultima vez que foi correr no parque e de que tipo de clima mais lhe agrada.

Me fale qualquer coisa, só não deixe de falar comigo.

Porque o seu silêncio  é ensurdecedor e não estou sabendo lidar com ele.

Chayane Rodrigues, publicado em: https://sotententender.wordpress.com/

Não transformemos o que já foi amor em rancor.

tumblr_inline_mk908bbMRJ1qz4rgp

Não sei muito bem como dar inicio nesse texto. Já faz tanto tempo…

Confesso que é difícil escrever para você, mas agora é necessário.

Quero pedir para que nós não transformemos o amor, carinho ou qualquer tipo de sentimento bom que tivemos um pelo outro em rancor, incomodo ou algo similar.

Já está tudo resolvido. Nós seguimos nossas vidas, conhecemos e nos relacionamos com outras pessoas. A vida seguiu e não foi apenas para você, então, pode ficar tranquilo que não fiquei sentada para sempre esperando você viver a sua vida e voltar para mim. Eu também prossegui.

Não o amo mais. O que tenho é um carinho enorme. Não é porque não era pra ser, que vou cultivar  algum tipo de sentimento ruim por você. E peço que você também não cultive de mim.

Não precisa ser rude quando lhe perguntar algo, desviar o caminho quando me ver, desviar o olhar quando ocasionalmente te olho ou ter qualquer tipo de medo de me iludir ou que me apaixone por você outra vez. Está tudo bem, eu garanto.

Temos que aprender a lidar com o fato que moramos na mesma cidade e que nos veremos algumas ou muitas vezes.

Esses momentos não precisam ruins, você concorda? Não preciso ficar incomodada quando você me olha e você não precisa me tratar como uma desconhecida.

Vamos respeitar e aceitar o que passou! E se você tem algo para me falar ou qualquer coisa do gênero, seja sincero e transparente, como sempre foi comigo e resolveremos, caso ainda exista algo pendente.

Não quero que uma historia que aos meus olhos foi tao bonita, sincera e inocente, se transforme em um transtorno ou pesar.

Não quero esquecer o que senti por você, muito pelo contrario, quero sempre lembrar com muito carinho.

Não faça com que eu me arrependa de um dia ter me encantado por você. Não precisa ser assim…

Fica aqui meu pedido: não transformemos o amor em rancor.

Chay Rodrigues, publicado em: https://sotententender.wordpress.com

Eu discordo

Woman writing
Woman writing

Algumas pessoas acreditam que o fato de não dizer adeus é menos dolorido que dizer. Eu discordo. Segundo um amigo, adeus você diz para alguém que não irá mais ver e se você pretende ver essa pessoa futuramente, o adeus não é necessário. Mas não somos donos da vida, somos limitados e não podemos prever o amanha. Inclusive, o amanha pode nem se quer existir. E digo para quem quiser ouvir, o fato de não dizer adeus ou não se despedir de alguém que está partindo, seja para um outro bairro, cidade e até mesmo outro país, é muito mais torturante do que dizer. Se despedir é ter a emoção do ultimo abraço, do ultimo sorriso e das primeiras lagrimas de saudade que já existem. Eu achei que pudesse ser dona do seu destino, achei que não indo até você para me despedir te prenderia aqui. Me enganei. Esqueci que antes de ser meu, você era do mundo e que contra ele eu não poderia competir. Quando caí em mim, eu corri até onde você estava, para lhe dar meu ultimo abraço. Chegando lá me informaram que já era tarde, você já estava dentro do avião indo de encontro ao que você sempre quis e o pior é saber que era também pra longe de mim. Não cheguei a tempo de te abraçar e dizer que já estava com saudade. De pedir pra você tirar lindas fotos e me mandar, de te entregar algo meu para quando a saudade de mim ( caso venha um dia existir) estiver difícil e nem de pedir algo seu pra quando isso acontecer comigo.

Nada que eu faça ou tente fazer vai se tornar uma despedida a altura da qual merecíamos. Agora estou aqui, me despedindo de você por um texto, que você nunca irá ler. E isso meu bem, não diminuí em nada a tortura que é ter que guardar aquele Adeus que não pude dar.

Com carinho,

Chay Rodrigues.

Dança comigo?

love for ever 2

Muitas vezes durante a vida amorosa, somos surpreendidos por um : “Dança comigo? ” E como negar um pedido desses? Entramos na dança, entre os passos da valsa acabamos nos perdendo e nos reencontrando. Dançamos para lá, para cá, para frente e para trás. Tudo parece sincronizado e ensaiado. A cada segundo da dança nos sentimos cada vez mais infinitos. Estamos inteiros e entregues , um ao outro. Nada ao nosso redor parece acontecer, como se só existisse nós dois e uma bela e romântica musica ao fundo, em um salão grande e enfeitado, igual aqueles que vemos nos filmes.

Olhares fixos e sorrisos sinceros e espontâneos, os perfumes se confundem, estamos cada vez um mais perto do outro e parecemos estar flutuando. Até que no momento mais bonito, na hora do giro perfeito, nosso par some. A musica continua, mas a dança mais uma vez acaba antes do seu fim.

E como continuar essa dança sozinha? Não tem como. Nossas vidas são repletas de valsas terminadas antes do fim, são interrompidas sem que possamos fazer nada, acaba assim, sem despedida e sem beijo apaixonado no final. Acabam porque por algum motivo nosso par não quis continuar, achou uma valsa melhor do que a que a qual estávamos dançando. Algumas valsas duram mais do que as outras, algumas chegam até os 5 segundos finais e acabam, outras não passam dos 5 segundos iniciais e outras nunca devíamos ter aceitado dançar.

E acredite, o problema não é você, não é porque você sem querer pisou no pé do seu par ou porque errou o compasso. O problema é que não era pra ser com ele a sua valsa mais bonita e você ainda agradecerá. Tem tanta gente esperando pra te chamar pra dançar e tanta valsa pra ser dançada. Devemos procurar um par que dance conosco mesmo quando a musica acabar. Que aceite nos conduzir não por um curto período de musica, mas sim, pelo resto das nossas vidas. Que faça do nosso dia-a-dia sempre a valsa mais bonita e mais bem dançada de todos os tempos. Alguém que acorde te conduzindo até o café da manhã com uma valsa e que dance contigo na chuva. Que não tenha vergonha de dançar sem musica. E que quando tocar a musica de vocês, seja em casa, no mercado, na rua ou no parque, não hesite em te propor: “ Dança comigo? ”

Desejo que o meu e o seu próximo : “ Dança comigo?” Seja essa valsa bem dançada. Chega de valsas mal terminadas.“

 Chay Rodrigues.