Pode até fingir que não viu

tumblr_m18wwv7uwy1r7onvlo1_500

Quando nos lábios entre o beijo tem um sorriso, dois sorrisos se encontrando numa pausa breve.

Aquela pegada forte e os gestos firmes pra levar ao momento seguinte, dão lugar ao caminho dos dedos pelo rosto, e o olhar encantado de admiração, como numa descoberta fantástica.

No engarrafamento, o rádio não perdoa: “Espero que o tempo passe, espero que a semana acabe pra que eu possa te ver de novo” é quando bate aquela saudade saudável: Vocês se encontram o mesmo número de vezes de sempre, entretanto a ausência se torna muito maior, e a ansiedade pelo encontro, a escolha do figurino ideal e a observação de todo plano de fundo, por outros ângulos.

Durante as longas conversas que sempre foram corriqueiras, questionar se o sorriso terá sido a oportunidade pra um beijo. Ao invés da resposta ao diálogo, deixar-se absorver admirado pelos pensamentos: “não tinha reparado como é bonito esse sorriso”. Os gestos do outro agora soam muito mais autênticos, e saberíamos descrever cada um deles de olhos fechados. As chegadas, as despedidas, o toque, o abraço, ganharam outra intensidade. Aquela gargalhada no meio do dia, a lembrança da piada que riram juntos, quando na vitrine aquele vestido ficaria lindo no corpo dela.

Você deixou ela escolher o lugar no restaurante, desligou o ar condicionado no engarrafamento quando estava quente, mas ela estava com a garganta dolorida. Na sua geladeira, as preferências dela, na geladeira dela sua fruta preferida.

Não tem jeito: pode correr, pode inutilmente traçar uma rota de fuga. Mas a paixão ta aí, parece que ela está vindo sem permissão, entrando sem bater, desarrumando a casa, sujando o carpete, te olhando nos olhos e em breve: ela vai querer trocar a cor das suas cortinas.

Natasha Vitória, publicado em: http://taescrito.com/

Anúncios

2 thoughts on “Pode até fingir que não viu

  1. Gostaria de oferecer meu texto para divulgação no site,

    http://dividro.blogspot.com.br/2014/10/sobre-beijos-e-lagrimas.html

    Quando se está feliz… a boca sente falta de estar perto… o sorriso é oferecido de graça, onde quer que se esteja… Na rua… no trânsito.. e até em situações inesperadas. Ninguém entende. E nem precisa. Na verdade não diz respeito a eles, somente a nós.

    Quando se está feliz.. os olhos brilham pelo simples fato de saber que o amor existe, personificado em nós, a afinidade é tão grande junto com a sintonia.. que o calor, os sentidos, o abraço, a energia.. Tudo é sentido como se estivessemos sempre perto. E está, de certa forma.

    Quando se está feliz… mesmo existindo lágrima.. desce doce e alcança o infinito… saborosa de saudade… de alegria.. de paz… de tudo de bom… porque as vezes até as lagrimas simbolizam o amor.

    A distancia não é empecilho. É força. É gás. Gás para comemorar a presença. Gás para buscar a proximidade. Força para seguir a vida com a certeza de que o amor foi construído e o que conta é o merecimento de nos encontrarmos novamente… nessa vida.

    1. Bom dia Cristiane,

      Obrigada pelo seu texto! Pode deixar que encaixarei ele para publicação. Possivelmente lá por Dezembro ou Janeiro, que até lá já tenho textos agendados. De qualquer forma, fico muito feliz que queiras fazer parte do blog. Beijinho!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s