Choque de fascínio

03

Gosto de quem sabe onde se meteu. Sem perguntas óbvias, desvenda as minhas sombras e entornos. Entre tantas opções, me escolhe. Gosto de quem quer mesmo ficar com quem demorou a encontrar – não tem mais volta, não tem mais fuga. Entre tantos desencontros, um choque de fascínio. Que fica, que pulsa. E instiga. Gosto de quem quer ser tudo, e não mero resto ou fugaz relâmpago. Gosto dos doces de espírito, capazes de contagiar sem esforço. São pura leveza, destemor infantil. Dos que olham e vêem, em vez de desviar os olhos – tão mais fácil. Dos que me puxam sem saber as lágrimas ao olhar para o céu. Dos que mal fazem idéia do poder que têm sobre mim e habitam meus sonhos inconfessáveis. Ferinos mansos. Gosto dos que percebem verão no inverno e atravessam as estações comigo. Dos que planejam viagens e transformam para sempre as memórias de uma cidade no meu coração – há tanto tempo isso não acontece. Prefiro os que são tão fortes quanto eu, embora raríssimos. Nunca quis gelar os começos ou tornar agradáveis os desesperos internos. Mas acontece. Invente qualquer desculpa. Ou me enfrente com verdades – tenha peito, por favor.

Paula Pfeifer

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s