Posse

Ocupo todos os cantos da cama para deixá-los fora do meu mundo. É o meu modo de esconder que na verdade eu só queria perder o cobertor para pés maiores que os meus. Dormir sozinha dá aquela sensação de que o frio existe mesmo quando o termômetro marca 30 graus, de que os travesseiros são insuficientes e o espaço é infinito. Por dentro e por fora.

Ocupo todos os segundos do meu dia pra não deixá-los tomarem posse da solidão que cultivo como companheira. Sou dela, não tem jeito. Sou minha e não sei me dividir. Essa é só a maneira que eu aprendi a ser, porque pertencer aos outros faz doer.

Já aceitei vocês e suas cargas, suas faltas; e nada disso foi suficiente porque vocês não puderam ou não souberam me aceitar. Vocês não podem carregar o que tem aqui dentro, esse peso que eu preciso dividir pra não ficar sobrecarregada por existir. Agora não aceito mais. Não consigo aceitar nada pela metade e vocês são incompletos porque não se permitem ir além.

Não posso aceitar e dormir sozinha é quase um protesto. Não aceito. Não deixo mais ninguém me roubar de mim.

Veronica H

Anúncios

2 thoughts on “Posse

  1. Em 2008 descobri um quadro num museu de Viena. Uma pintura de Hundertwasser. O título chamou-me mais a atenção do que o próprio: “Who has eaten all my windows” – http://www.wikipaintings.org/en/friedensreich-hundertwasser/who-has-eaten-all-my-windows – Porque na altura achava que me tinham roubado de mim. Comprei um postal com o dito que mantenho emoldurado na minha casa. Para não me esquecer… Mas o amor não é simples. O não amor muito menos. Deixo o convite para um texto que sobre isso mesmo escrevi. http://agoradigoeu.wordpress.com/2012/09/29/nao-me-e-facil-escrever-sobre-o-amor-se-receitas-houvesse/
    Porque depois de doer vem a parte em que nos esquecemos que doeu. E nessa parte, em que não se sente nada, trincamos os lábios, como se alcoolizados estivéssemos, simplesmente para sentir que ainda os temos (os lábios). E é aí que nos deixamos roubar… por ingenuidade…

    1. Obrigada pelas palavras. A pintura é linda. O título mais ainda.
      Quanto ao seu texto, li, reli e acabei por ler mais alguns. Muito bons!
      Ingenuidade dos românticos incuráveis. É o meu mal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s